terça-feira, 29 de julho de 2014

Sobre editorial, divas do Rock Alternativo e anos 90

               Oi meninas, tudo bem? Vocês que me acompanham no Instagram @sobremodaeoutrascoisas, eu postei uma foto fazendo uma prévia de mais um Editorial de moda, que produzimos para o meu curso, sendo este com uma proposta meeeega diferente do que vocês viram anteriormente, que se resume em retratar divas do rock alternativo que marcaram a história com sua atitude e originalidade, cada uma no seu tempo, não compete a nós fazer julgamento de valores de comportamento e vida pessoal, mas sim admirar essas guerreiras que superaram o preconceito do orgulho machista e fizeram acontecer nos palcos do mundo todo. Eu sou bem leiga nesse assunto de rock, mas minhas amigas/produtoras Jéssica Ribeiro e Pamella Azevedo que são fãs do assunto me contaram um pouco de cada e eu fiz também várias pesquisas para ficar a par do assunto.

Tori Amos:


                   É uma cantora, compositora e pianista, que visava ser a principal cantora alternativa de sua época, com suas canções com temas agressivos como, morte, estupro, aborto e amores perdidos. Ela é bem do começo dos anos 90, e o look representa o público que ouviam suas músicas.

 


  Courtney Love: 


                 Amada por uns, odiada por muitos, na verdade se o posto fosse de mulher mais polêmica da música mundial, a medalha de ouro seria dela, Courtney Love, sem dúvidas. Talvez outro alguém não tenha personificado tão bem a reviravolta de beleza dos anos 90. Ela é vocalista, compositora e guitarrista da banda Hole, fundada em 1989. Seu estilo agressivo, conhecido como "kinderwhore": criança vulgar; incomodava pela ambiguidade, com uma versão levemente mais política do que o Grunge acabou formando uma apatia que se transformou em demosntração de angústia, e se tornou favorito no mundo fashion, uma obsessão instântanea para todas as garotas que se sentiam fora do padrão. Sendo basicamente um cabelo loiro platinado, batom vermelho vibrante, meias 5/8 pretas com rendas, looks curtinhos e coturnos, representados no look acima.

 

Björk

 

                 Ela é provavelmente a artista com a maior imaginação para se vestir, a sua marca registrada é o cabelo penteado em pequenos redemoinhos na cabeça, a Björk é uma "menina-moleque", estilo ilustrado no look acima, que se resume em excentricidade e criatividade em suas composições de look.

 

Cat Power:


                 Com seu estilo minimalista e bem básico, do tipo de sair constantemente de calça jeans e camiseta, ela conquistou a turma alternativa desse começo de século e se tornou referência. Cat Power ou Chan Marshallé delicada, tímida, megatalentosa, é uma das cantoras mais doces e apaixonantes de sua geração e também no mundo da moda, construindo inspirações no rock, com looks com pegada andrógena e com forte identidade nas produções, compostos por peças masculinas e estruturadas, cores sóbrias e com pouca estampa.

 
 
 PJ Harvey:

 

                  Uma artista que sempre foi muito rotulada de feminista nos anos 90, foi a PJ Harvey, que sempre ousou nos cortes, nas cores vibrantes e nas roupas, pernas quase sempre de fora, batom e unhas vermelhas fazem parte de seus looks.

  

Aimee Mann:



                 Ela é cantora, baixista, guitarrista e compositora estadunidense, com trilhas sonoras sublimes e melancólicas, Aimee Mann tem um estilo menos pesado, e definido como delicado, despojado, mais voltado para o folk rock.

 

Fiona Apple:


                 Suas letras metafóricas, pianos raivosos, canções catárticas, declarações polêmicas e a voz rouca e angustiada fizeram com que Fiona Apple alcançasse, o reconhecimento da crítica e do público. Usava roupas largas e sempre foi muito magra, por conta da anorexia, a doença, que não veio por conta da questão estética, nasceu em decorrência de um estupro ainda na adolescência. Com isso, toda a imagem da cantora ajudou a contribuir para aquela ideia de loucura que a transformou em uma das melhores e maiores vozes femininas dos anos 90.

 

Shirley Manson :


                  Vocalista da banda Garbage, e ex-modelo da Calvin Klein, escocesa, ruiva. Shirley Manson deu vida o lado visual dos anos 90 do qual as mulheres mais sentem falta hoje. Só o nome dela já traz boas memórias de botas, meia 3/4, arrastão, saias curtas e batom vermelho, um estilo grunge com maior glamour, que não eram só o que ela vestia em meados de 1990, mas também o que outras milhares de garotas queriam vestir. Enquanto o estilo de Courtney Love tinha uma energia destrutiva, o estilo de dela encontrou um meio termo, trazendo qualidades dark inteligentes e sensuais unidas em um pacote poderoso.


                 Espero que vocês tenham gostado dessa outra visão de um editorial, afinal moda alternativa também é moda e não segue padrões, ou modices, ao qual muita gente "torce o nariz", sem perceber que não é porque não é convencional que não seja bom. Li em algum lugar que "É tendência ser você mesmo!", tem coisa melhor? Esse editorial é sobre os anos 90, mas acho mega atual, e tem vários looks que podem ser encaixados no nosso dia a dia.

Beijinhos, Ray