terça-feira, 7 de junho de 2016

SOBRE TRAIÇÃO, FIDELIDADE E DAR A VOLTA POR CIMA


               Tem gente que tem vergonha de ser traído. Eu, no entanto, não vejo problema algum em contar que fui corna. Feio mesmo é quem traiu. Minha consciência está limpa. Isso compensa todo o sofrimento. Quem trai e diz estar arrependido pode até estar sendo sincero, mas, infelizmente, traição é vício. É como café, coca cola ou até mesmo crack. Quem trai uma vez, trai outras. Se observarmos o perfil dos traidores um a um, veremos que a maioria já traiu ao menos dez vezes. Por isso, pense bem antes de se relacionar com alguém que já traiu anteriormente. Você pode ser a próxima vítima. E não se iluda com aquele papinho de “eu mudei, você é a mulher da minha vida, mãe dos meus filhos”. Homem galinha vai ser sempre galinha. É doença, tá no sangue. Se tiver dinheiro então, aí já era. O cara vai achar que pode comprar quase todas as mulheres do mundo (e pode mesmo!). Pena que, geralmente, a “mulher dos filhos dele” não é facilmente comprada. Ele terá, portanto, que se contentar com parceiras que aceitem a traição em troca de bons momentos juntos. Tem mulher que realmente prefere ser traída e bem tratada a ter um companheiro fiel que não a mime. 


               Felizmente, eu tenho noção de que eu posso, sim, ter alguém que me ame, que me trate bem e que não me traia. E que não me venham com esse papinho de “você não vai arranjar alguém melhor do que eu” porque isso é frase de homem machista e controlador. Posso não ser perfeita, mas mereço, além de bons tratos, fidelidade. Quem acredita que fidelidade não pode andar junta com respeito e bons costumes ainda não conheceu parceiros respeitosos de verdade. Quem aceita traição acaba se diminuindo, murchando cada vez mais. Se você, minha amiga, foi enganada, não caia na conversa do “eu vou mudar”. Eles nunca mudam. Galinhagem é doença, é genético. Tá no sangue e não sai mais. É como eu sempre digo, e reforço: pau que nasce torto nunca se endireita. Vai viver sua vida, menina. Você merece alguém que seja sincero com você. 


                De que adianta ter um homem que te dá tudo do bom e do melhor (inclusive muito amor) mas que é um mentiroso compulsivo? Não caia nesse discurso depreciador. Você pode, sim, arranjar alguém verdadeiro. Mais vale viver tranquila do que com a pulga atrás da orelha o tempo todo. Confiança, uma vez quebrada, para sempre quebrada. E lembrem-se: não há remédio melhor no mundo do que o tempo. Fé em Deus que tudo vai dar certo! Dedico este texto a todas as mulheres que já foram traídas e que acreditaram que, um dia, seus parceiros mudariam. Vamos, unidas, acabar com essa opressão.