quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

SOBRE APLAUDIR 2017: A GLOBELEZA TEM UM GUARDA-ROUPA


Chegou chegando, assim é 2017, que em pouco dias de existência vem quebrando padrões. 

Reflexos de novos tempos? Sim. 
A luta de 2016 acabou? Não, só continua. 

Este ano veio para firmar de vez que importantes assuntos devem ser abordados na publicidade, e essa semana foi para o ar a clássica vinheta da Globeleza, para avisar que o ano começou e começou de nova perspectiva.

Ver a Globeleza vestida vestida é uma vitória.

Assim como foi uma vitória acompanhar várias marcas usando diferentes estéticas em suas campanhas, porque desde o ano passado, a publicidade tem se aproximado das lutas femininas e se afastado dos estereótipos de gênero. Isso é uma vitória.

Na década de 90 a Rede Globo criou o conceito da “musa” do carnaval, que desde então estrela as chamadas do canal. Intitulada de Globeleza, a moça tradicionalmente aparece na televisão nua, com purpurina, pintura corporal, sambando, sambando e sambando.

Por claramente refletir a objetificação do corpo da mulher, a personagem sempre foi alvo de críticas. E parece que a emissora percebeu que o futuro chegou, e decidiu que, em 2017, a Globeleza merecia mudanças muito importantes.

Apesar das brasileiras nem sempre se sentirem bem representadas pelas propagandas, é cada vez maior o número de campanhas que buscam retratar uma mulher mais próxima da realidade e seus anseios. E desta vez, muito além de corpo a mostra, Globeleza, interpretada por Erika Moura, tem roupas, muitas roupas, que transbordam a diversidade brasileira, muito além de cores e pinturas. Seu guarda-roupa representa divinamente a cultura do país, fazendo alusões a vários ritmos além do samba, como o frevo, maracatu e axé.



Além de vestir roupas, Globeleza vestiu cultura, vestiu o Brasil. E a gente tá convencida de que empoderamento bem exercitado é chave pra se conquistar mais, e campanha inovadoras que falam de pluralidade causam polêmicas mas também fazem os telespectadores perceberem de que estamos mudando, nessa campanha, os profissionais mudaram seus olhares e pra mim, acertaram.