quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

SOBRE PREGUIÇA, PROCRASTINAÇÃO E TRABALHO

Como já diria o escritor Olavo Bilac, as formigas trabalham e não se fatigam. “Vão as formigas prudentes, trabalhando e armazenando. Também quando chega o frio, e todo o fruto consome, a formiga, que no estio trabalha, não sofre fome.” A natureza nos ensina o tempo todo. Embora nos sintamos superiores às formigas, precisamos aprender com elas. Humildade. Não somos melhores que nenhum animal.
As formigas me fascinam, pois são o melhor exemplo de que trabalho traz recompensa. Trabalho em grupo, então, mais recompensa ainda. Elas se organizam em grandes grupos e não são preguiçosas. Têm iniciativa e não desperdiçam nada. Concluem suas atividades sem adiá-las e, depois, desfrutam do que plantaram. Sábias formigas. Se pudéssemos, aprenderíamos mais com elas.
Exibindo 2.jpg
O ser humano é naturalmente preguiçoso. Os portugueses nos trouxeram um costume nada louvável: o de que o trabalho braçal é ruim. Eles valorizavam muito o trabalho intelectual e, por isso, acreditavam que o homem precisava ficar no ócio para produzir. Nada contra quem trabalha com a mente, afinal de contas, todo tipo de trabalho é válido. Mas desprezar o trabalho manual é se mostrar arrogante. Quem pensa que o trabalho intelectual vale mais que o braçal não está caminhando na direção certa, que é a da humildade.
Trabalhos de todos os tipos precisam de empenho. Trabalhar é sacrificante, mas compensa. Quem vive do dinheiro alheio não sabe dar o verdadeiro valor das coisas. Só quem produz com as próprias mãos sabe o que é o sabor da conquista. E se engana quem pensa que trabalho é só remunerado. Trabalho solidário também traz muitas conquistas interiores, para a alma. Além disso, o estudo é um tipo de trabalho – e um dos tipos mais árduos que existem. A lógica do trabalho não procrastinado deve, também,  ser aplicada com veemência na vida escolar e acadêmica.

Que 2017 possa nos trazer maturidade suficiente para sermos mais humildes e organizados. Temos tanto tempo, mas o desperdiçamos com coisas sem valor. Procure fazer um cronograma com suas atividades. Você vai ver o quanto sua vida vai melhorar. Trabalhe mais, estude mais, ajude mais. Procrastine menos, reclame menos, desista menos. Mas não se esqueça, é claro, do descanso. Afinal de contas, até mesmo Deus descansou no sétimo dia.