março 06, 2017

SOBRE MOTIVOS


Toda decisão tem um motivo.

Considero motivos como diferentes justificativas para a atingir algo. São eles que influenciam nas nossas decisões: de mudar, de continuar, de desistir ou de começar outra coisa. Eles impulsionam e, acredito que tudo tenha a ver com a quantidade de energia que você injeta.

Em psicologia, a palavra motivo designa um traço de personalidade que determina quão importantes são as metas de cada pessoa, ou seja motivos são a disposição da personalidade voltada à valoração das consequências de uma ação. E podem ser vistos também como componentes do processo de autocontrole, uma vez que eles permitem ao indivíduo encontrar maneiras criativas e flexíveis de satisfazer suas necessidades. Além disso eles auxiliam o esforço da pessoa de corresponder às expectativas geradas pela autoimagem, pelos objetivos pessoais, pelos valores individuais e culturais, pelos papéis sociais. Os motivos auxiliam o processo de organização e representação cognitiva das experiências de vida ligadas à satisfação de necessidades, sobretudo das possibilidades de ação percebidas implicitamente, ou seja, não conscientes. (Kimble & Garmezy, 1963.)

Os motivos explicam muito mais coisas do que a gente pensa, se iniciam muitas vezes com experiências na infância e vão se modificando pelo ambiente no qual vivemos. O que te move a fazer algo? Porque você se identifica com determinadas pessoas? Qual o motivo para pelo qual você gostava tanto de esporte na escola, ou porque você não gosta de sushi? Porque você escolheu esse curso? 

Muito do que consumimos tem motivos específicos, já tentou parar para entendê-los?

Quais seus motivos para comprar roupa nova? Minha calça favorita já não está servindo mais. Preciso estar radiante naquela ocasião que está por vir. Quero fazer uma mudança de estilo. Só tenho 18 blusinhas dessa, preciso de mais uma.

Quais são os seus motivos para não comprar? Eu já tenho coisas o suficiente para viver por um bom tempo. Preciso economizar! Eu posso apreender a ser mais criativa na hora de me vestir. Deixar de comprar me ensina a ter maior auto controle.

Não é uma questão de escolha. É uma questão de equilíbrio. 

Há quem vá dizer que seus motivos são fúteis, mas cada um tem seu porquê e isso não precisa fazer sentido para ninguém lá fora. Todo mundo tem um motivo para comprar aquela peça, é só saber ponderá-los, que o bolso agradece!

Vamos valorizar os motivos.
Bora começar a semana radiante!